2016

2016

23 outubro 2013

30 rocks (not)

li algumas vezes, por essa blogosfera fora, que passando a marca dos 30 já nada seria igual. ouvi outras tantas pessoas dizerem o mesmo. falam de maturidade, pensei. é normal. mas ria-me quando acrescentavam que não, não é só a mente, que o corpo também se ressente. ria-me, porque de facto o nosso corpo não tem um interruptor que sabe que ontem estavas nos 29, hoje já nos 30 e agora tudo vai mudar, é bom que te mentalizesria-me, mas agora percebo. 
nunca fui muito regular no que ao exercício físico diz respeito, basicamente porque sou preguiçosa, não gosto de me mexer e nunca encontrei uma atividade que me motivasse tempo suficiente para continuar a ir [quando não se gosta, tendemos a fartar-nos depressa].
passa-se que, por motivos de saúde [e de stress e de cabeça, mas essencialmente de saúde] não posso deixar de ir ao ginásio. seja à piscina, cardio ou aulas de grupo. qualquer coisa serve, desde que feita com cuidado e disciplina e que não danifique [ainda mais] a minha coluna. 
estive 3 meses parada, desde que entrei de férias [lá longínquas, em julho] que não punha os pés no ginásio. de vez em quando ia à piscina, uma ou duas vezes por semana, fazia o essencial e pronto. mas o médico fez-me prometer que ia para o pilates, que é muito necessário à coluna e blá blá blá. e eu, obediente, fui. já tinha feito durante algum tempo, na altura da faculdade, e lembro-me que gostava bastante. não podia ser assim tão diferente.
na verdade, não é. o que mudou foi a forma como o meu corpo recupera. olho para as velhinhas que estão na mesma aula que eu, frescas e fofas, prontas no final para fazer mais uma aula. e estou de rastos, a querer apenas deitar-me no chão e deixar-me ficar. é certo que todas elas lá andam há muito mais tempo... mas também têm pelo menos o dobro da minha idade. o que faz de mim: a) uma criatura muito fraquinha; b) uma criatura que se riu dos trintinhas e agora percebe como de facto o corpo é uma máquina extraordinária que, se não for devidamente educada, funciona mal. ele são dores pelos músculos todos, mesmo aqueles que eu desconhecia. 
vai daí que já não tenho vontade nenhuma de me rir. mas meti na cabeça que as dores musculares não hão-de ser mais teimosas que eu. e acredito que com a ida regular às aulas, vai chegar o dia em que quem dá uma abada às velhinhas sou eu. 

3 comentários:

Anónimo disse...

Apoiado. Muito bem. Estou solidário
Totalmente :))

Enjoy the Ride disse...

obrigada. motivação precisa-se ao nível dos músculos.

Anónimo disse...

Conta comigo.