2016

2016

30 dezembro 2013

2013

foi o ano em que criei este blog. fiz 30 anos. inscrevi-me num workshop onde conheci pessoas maravilhosas. mudei. sinto-o mais cá dentro do que as pessoas notam, mas mudei. para melhor, espero. descobri que há coisas que me motivam e que é por elas que devo batalhar diariamente. fiz babysitting. tive novos desafios profissionais. conheci o Miguel Esteves Cardoso e trabalhei com ele. li mais. vi menos filmes, mas segui mais séries. procurei sempre mais e melhor música. ouvi vezes sem conta aquela meia dúzia de canções que me acompanham sempre. cozinhei mais e aprendi a fazer coisas novas. descobri lugares ótimos, onde voltar sempre que possível. voltei ao ginásio. surpreendi pessoas. fui surpreendida. perdi o medo de andar de avião. descolei e aterrei no cockpit. voltei a viajar, três anos depois, novamente para a Alemanha. voltei a Regensburg e Nuremberga. conheci Munique e Heidelberg. zanguei-me muito, porque a vida é mesmo assim, tem altos e baixos. e depois acalmei, porque a seguir à tempestade vem sempre a bonança e é bem mais compensador agarrar o que temos de bom do que insistir naquilo que nos magoa. relativizei mais. fui mais vezes à praia. arrisquei em pequenas coisas. experimentei sair da minha zona de conforto e senti-me bem com pequenas conquistas. acho que sorri mais. falei muito. ouvi também. ajudei sempre que pude. mimei o meu gato. apoiei e acarinhei, ainda que da minha forma desajeitada, as minhas pessoas. percebi que são elas, sempre elas, o mais importante que a vida me deu e dá todos os dias. e adoptei essa verdade como lema, para nunca me desviar do essencial.

***
amei e fui amada. foi o ano em que passámos mais tempo juntos, em que fomos mais felizes. ironicamente foi também o ano em que nos separámos. quando eu pensava que a montanha russa de emoções se transformara numa viagem tranquila a dois, a vida trocou-me as voltas mais uma vez. levou-te para longe e deixou-me desamparada. de novo. tomei decisões muito sérias, como se a minha vida dependesse disso. e dependia. chorei muito. às vezes ainda choro. mas ergui a cabeça e segui, ainda que o caminho seja o mais difícil. ouvi-te horas a fio. também falei. duvidei que pudéssemos manter um relacionamento saudável, mas conseguimos. ainda me revolto, mas menos. percebi que no caminho não deve haver ressentimentos nem coisas por dizer. que devemos arriscar com o coração, mas saber recuar a tempo de não provocarmos danos irreversíveis. sonhei muito, nem sempre com os pés assentes na terra. acreditei sempre. revoltei-me, impotente. e revoltei-me por não poder fazer mais. culpei-me e culpei-te. perdoei-nos. ou melhor, tentei compreender o incompreensível. revoltei-me de novo. esperei que o tempo curasse. não tudo, mas o possível para a vida continuar. tentei desfazer-me de ti nos objetos e nos pormenores, mas não em todos, não tive coragem. respirei fundo mais vezes. cedi. comprometi-me. percebi que nem sempre temos o que mais desejamos. e que a vida muda a qualquer instante. para o mal e para o bem. resumindo: amei e fui amada. não é isso o mais importante?

***
nunca ouvi ninguém dizer que tem pena que um ano termine. pedimos sempre mais e melhor. 2013 foi um ano de aprendizagem e crescimento. de sofrimento, mas de muita alegria. tive a família e os amigos por perto, todos com saúde. há lá melhor do que isso? não concretizei tudo o que desejei, mas a vida é feita de pequenas conquistas e que graça teria se acontecessem todas de uma vez? mantenho alguns objetivos para o próximo ano, outros reformulo, outros ainda acrescento. foi um ano bom, em que fui muito feliz, em que colecionei belíssimas memórias, em que me senti acarinhada. entro em 2014 com a mente aberta e a expectativa de quem quer melhorar sempre. 'bora lá?
Feliz Ano Novo! :)

2 comentários:

Caco disse...

Que post tão bonito. Muitas felicidades para o novo ano!

Enjoy the Ride disse...

obrigada! :) que seja isso mesmo, um ano de felicidades para todos.