2016

2016

14 abril 2014

desabafo

em geral as pessoas são avessas à mudança. tudo o que nos tira das nossas rotinas e nos desafia é habitualmente encarado com resistência. gosto de pensar que, apesar de precisar da segurança de algumas rotinas, coisas pequenas, preciso mais da mudança, precisamente porque me obriga a repensar, a reorganizar, a refrescar o espírito. deve ser por isso que faço tantas mudanças em casa, de coisas pequenas, apenas para não me habituar demasiado ao seu lugar, para variar.
dizia eu que as pessoas são avessas à mudança. e hoje houve uma mudança na nossa empresa: mudámos de sala e necessariamente a disposição é diferente. admito que haja quem possa não gostar, a vida é assim. mas custa-me bastante aceitar e ouvir as lamúrias diárias [que vêm de longe, quando há meses nos falaram desta alteração] de quem não tem razões válidas para se queixar. ou é a luz que faz dores de cabeça, ou o ar condicionado que está quente, ou a parede que não isola o barulho, ou os quadros que não ficam bem na parede, ou a janela está aberta, ou a porta está fechada. e por aí fora. havia até quem, sem ter visto a transformação, tivesse já críticas a fazer. 
o que sinto é que o descontentamento geral [por causa das condições de trabalho, dos salários que diminuem e por uma série de outras razões inerentes à empresa e à economia] está a tomar proporções descontroladas. as pessoas perdem o foco e o cansaço não as deixa discernir o que é certo e errado, não distinguem aquilo que é acessório daquilo por que vale a pena protestar e que é realmente importante.
acho que tenho uma boa capacidade de encaixe e de adaptação, mas estes dias têm sido tão difíceis e cansativos, que não sei se a próxima semana de férias será suficiente para me abstrair.

Sem comentários: