2016

2016

29 outubro 2014

O Pecado de Porto Negro

acontece-me sempre o mesmo: a correria dos dias deixa-me bastante menos tempo para ler do que desejava. é rara a noite em que me deito sem ler algumas páginas, mas o cansaço é tanto, que acabo por demorar-me mais em cada livro. 
este foi finalista do Prémio Leya, em 2013, e despertou-me a curiosidade por me fazer lembrar as histórias e a escrita sul americana, de que gosto muito. não me enganei. o livro é magnífico: começa por ser uma bonita e entusiasmante história de amor, mas a meio há um twist que muda tudo, radicalmente. cada página é uma surpresa, obriga-nos a estar atentos, a acompanhar uma escrita absolutamente deliciosa. cada página é também um mundo rico de sons, cheiros e cores, como se nos transportasse para todos aqueles lugares, junto de todas aquelas personagens. queremos saber mais, torcemos para que a história caminhe para o final desejado, inquietamo-nos, suspendemos a respiração nos momentos de suspense. 
é um livro que exige tempo para o ler, mas sobretudo para o digerir. e que aconselho vivamente a todas as pessoas que gostem de ser perturbadas por estes mundos imaginários, que só a literatura tem a capacidade de criar.


sinopse

2 comentários:

Teresa disse...

Já o tive na mão e não o comprei... Mas agora mesmo para casa. Obrigada Joana pela partilha.

Enjoy the Ride disse...

Se só puderes comprar um livro, este vale mesmo a pena. :)