2016

2016

30 agosto 2016

Amesterdão III

depois das fotografias da viagem e do alojamento, aquilo que interessa e de que normalmente ninguém nos fala: bons lugares para almoçar e jantar. antes de mais, é preciso dizer que Amesterdão é uma cidade cara, sobretudo na restauração. uma refeição vulgar, com couvert, prato principal e sobremesa chega facilmente aos 25€ por pessoa.
como o pequeno almoço no hotel era reforçado, combinámos que, para termos tempo para ver o essencial, o almoço seria quase on the go e ao jantar então, com tempo, procuraríamos lugares onde pudéssemos sentir a cidade e comer uma refeição a sério. assim foi. 

imagem


no dia em que chegámos, a meio da tarde, fizemos a viagem de barco pelos canais e a seguir sentámo-nos na Pancakes Amsterdam, no centro da cidade, a comer umas mega panquecas, que me pareceu ser o ex libris da cidade, em cada esquina há uma loja. escolhemos a de crumble de maçã e a de morangos com chantilly, qual delas a melhor. nesse dia, como andámos bastante a pé, entrámos no primeiro sítio com bom aspeto que nos apareceu: calhou ser um restaurante de comida argentina, La Pampa, simpático; o empregado que nos atendeu tinha uma namorada portuguesa e aproveitou para treinar a língua; a comida não era extraordinária, foi talvez o sítio onde não comemos tão bem.
como tivemos a sorte de apanhar um tempo magnífico, com sol e o termómetro a rondar os 24 ou 25 graus, no segundo dia almoçámos numa esplanada na praça dos museus, o Cobra Cafe; hambúrguer e salada, coisa rápida e num lugar fantástico. como andámos pelos museus, a nossa ideia era jantar num restaurante indonésio que nos tinham recomendado e que ficava perto, Sama Sebo. infelizmente, como a fama chega longe, só funcionam com reservas e portanto ficámos à porta. mas não ficámos a perder: entrámos numa espécie de bistrot, o Pompa, com comida italiana caseira absolutamente deliciosa. foi, de longe, o meu lugar favorito: tranquilo, com uma decoração cozy, atendimento atencioso e comida cinco estrelas. no penúltimo dia, mais hambúrguer e salada ao almoço, desta vez numa esplanada perto da Casa Rembrandt, o Grand Café l'Opera, de novo com o sol a brilhar e de novo ficámos bem para seguir o resto da tarde pelas ruas de Amesterdão. finalmente, para fechar em grande e em bom, perdemos a cabeça e jantámos no Steak Restaurant Black & Blue, um restaurante à beira do canal com ambiente muito trendy, muito cosmopolita, cheio de turistas e onde comi a melhor sobremesa em muito tempo: um cheesecake de limão com frutos vermelhos de ir ao céu.
até nisto esta viagem foi boa: apesar de termos entrado em todos os lugares apenas pela intuição, tivemos sorte e todas as escolhas foram boas. todos estes locais ficavam centrais e perto das principais atrações turísticas por onde é obrigatório passar para quem visita a cidade pela primeira vez. 

1 comentário:

Anónimo disse...

Reecebeste o primeiro?