2016

2016

16 agosto 2016

leituras de férias

uma das resoluções que tinha para este ano - e para todos os outros, já se tornou um clássico - era ler mais, ler muito, de preferência mais do que nos anos anteriores. até meio de julho, estava claramente aquém desse objetivo. na verdade, continuo a estar, mas já consegui reduzir o prejuízo. :)
se férias significam descanso, no meu caso isso aplica-se também aos livros: prefiro leituras leves, pouco densas, que me consigam fazer abstrair por completo da rotina. curiosamente, policiais são os que melhor se enquadram nesta minha necessidade. estes foram os livros que levei na mala e me acompanharam durante os dias de praia.


demorei meses a ler este livro. gostei bastante do primeiro, mas este aborreceu-me muito. por isso, fui arrastando a leitura e acabei por ler quase metade de uma vez para o despachar. 




há umas semanas, ouvi um programa de rádio com a Diana Patrício, naturopata, a promover o seu livro Pare, Escute e Mude. tenho muita curiosidade em relação a medicinas alternativas e já recorri a elas várias vezes com bons resultados. este livro é muito completo a explicar a forma como devemos olhar para a nossa saúde, conjugando a alimentação com um estilo de vida saudável e uma mente tranquila; que cuidados devemos ter na prevenção de algumas patologias; e quais os alimentos, superalimentos e suplementos adequados a quem padece de algumas doenças mais ou menos graves.




depois, Joel Neto. as críticas que li na imprensa e a opinião de pessoas próximas eram tão boas, que foi desta que me rendi: o regresso do autor aos Açores, de onde é natural, e a forma como passou a encarar A Vida no Campo, com todas as memórias de infância e as histórias que os seus quarenta e poucos anos de vida lhe trouxeram. absolutamente delicioso.




por fim, Pensa Num Número. a especialista cá de casa em policiais é a minha irmã, que me recomendou este autor sem ter bem a certeza de que eu fosse gostar. a verdade é que, não sendo o melhor policial que já li, devorei-o em três dias, porque, além de ter tempo para ler, o enredo é muito empolgante. férias sem policiais não são férias perfeitas.


2 comentários:

Escrever Fotografar Sonhar disse...

Fiquei curiosa acerca dos dois últimos. Da camilla L. também foi esse o que me maçou um bocadinho.
Desde que li a triologia millennium tenho andado muito virada para livros vindos do frio!

Enjoy the Ride disse...

O do Joel Neto é diferente, porque é o autor a contar o seu regresso a casa. É muito bonito. Se só pudesse recomendar um destes quatro, seria esse. :)